Self-Taught Engineer

Como eu lido com minha síndrome de impostora

Com o passar dos anos eu desenvolvi uma metodologia para lidar com a minha s√≠ndrome de impostor nas diferentes escalas de tempo em que ela ocorre. Essa metodologia n√£o √© algo super complexo ou com uma profunda base te√≥rica, mas funcionou para mim e me ajudou muito no √ļltimo ano.

Meu primeiro ano como dev

H√° um ano eu come√ßava meu novo emprego como desenvolvedora backend em Python. Eu havia largado uma carreira, uma profiss√£o e por pouco tamb√©m n√£o larguei um mestrado. Quando tudo isso aconteceu, acho que eu n√£o tinha entendido as propor√ß√Ķes que aquela decis√£o teve na minha vida. Hoje, exatamente, faz um ano do meu primeiro dia como desenvolvedora e eu quero contar um pouco sobre o que aconteceu nesse ano.

Como é ser uma nova engenheira de software na Stripe

Ser engenheira de software em uma nova empresa - em qualquer nova empresa - √© sempre dif√≠cil. A base de c√≥digo √© completamente nova, voc√™ precisa se adaptar a novos padr√Ķes (tanto de c√≥digo quanto culturais) e, provavelmente, o tipo de problema que voc√™ vai resolver tamb√©m √© completamente novo para voc√™.

Como revisar código alheio?

Revisar c√≥digo √© uma tarefa complicada e pode se tornar bastante desesperadora, especialmente quando voc√™ n√£o tem ideia de como fazer isso. Entretanto, a revis√£o de c√≥digo pode ser uma ferramenta poderosa para aumentar a qualidade do seu c√≥digo e garantir deploys ‚Äúsaud√°veis‚ÄĚ.