Carreira

Como eu lido com minha sĂ­ndrome de impostora

Com o passar dos anos eu desenvolvi uma metodologia para lidar com a minha sĂ­ndrome de impostor nas diferentes escalas de tempo em que ela ocorre. Essa metodologia nĂŁo Ă© algo super complexo ou com uma profunda base teĂłrica, mas funcionou para mim e me ajudou muito no Ășltimo ano.

Minha experiĂȘncia com blogs, sites e meus textos

Escrever Ă© uma boa maneira de se desenvolver na carreira. VocĂȘ consegue se aprofundar em conteĂșdos que estĂĄ estudando, consegue gerar material para pessoas que podem estar precisando e Ă© uma boa maneira de gerar visibilidade (pensando em empregos futuros). Uma vez que vocĂȘ decidiu começar um blog novo, vem uma dĂșvida: aonde postar esse conteĂșdo?

Mulheres ambiciosas

As fofĂ­ssimas Pyladies Salvador pediram um texto para estrear o blog delas e me falaram que iam publicar esse texto no dia da mulher. Refleti muito a respeito do que escrever, do que eu poderia agregar de alguma forma nesse dia que tem tanto significado e resolvi que gostaria de conversar com vocĂȘs sobre ambição. QuĂŁo ambiciosa vocĂȘ se considera?

GĂȘneros e prioridades: o que muda?

JĂĄ estĂĄ disponĂ­vel a pesquisa versĂŁo 2018 de desenvolvedores do Stack Overflow, nosso site amado de dĂșvidas <3. Todo ano, o Stack Overflow faz uma pesquisa para tentar entender como a comunidade de desenvolvedores estĂĄ, que tecnologias prefere e quais sĂŁo suas visĂ”es sobre carreira e crescimento profissional.

Onde estĂŁo as mulheres medĂ­ocres?

me‱dí‱o‱cre: adj. De grau ou qualidade moderada; sinĂŽnimo: mĂ©dio

Liste as trĂȘs Ășltimas mulheres engenheiras seniores com as quais trabalhou. VocĂȘ consegue listĂĄ-las? VocĂȘ consegue ao menos 3? Pode fazer um tempo desde essas interaçÔes, mas isso nĂŁo importa. Pense nelas. Se elas tĂȘm alguns anos de experiĂȘncia, hĂĄ uma boa chance de que elas nĂŁo fossem apenas boas engenheiras, mas engenheiras incrĂ­veis.

Aprendendo a programar? Aqui vĂŁo minhas dicas!

Essa semana, eu troquei email com uma moça que quer começar sua carreira como desenvolvedora, mas estava insegura e frustrada. As entrevistas eram difĂ­ceis e, muitas vezes, impessoais. Escrevi um email de ajuda e apoio para ela e achei que seria vĂĄlido deixar as minhas “dicas” e recomendaçÔes anotadas em algum lugar.